sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Descolorindo.

Era de sorrir todas as manhãs, de dar bom dia com os olhos.
Era pra ontem, era com urgência.
Mas daí, quem é de surpreender, acaba surpreendido.

Rendido.

E você me fez ter que guardar o meu amor.
Mal sabe você, que o meu amor é feito pra compartilhar.
E você me fez recolher o meu amor.
Mal sabe você, que o amor é feito pra somar, pra dividir.

Eu quis te dar todo o meu amor.
Porque ele é seu.

Eu ainda tinha tantas coisas pra te mostrar nessa vida.

Quando dizia que você era uma bonita,
eu não estava falando do fato da sua boca ter sido desenhada
com lápis de cor. Nem do seu nariz que, de tão empinado olha
pra gente lá do alto.
Eu dizia que admirava o que há de lindo em ser você.

Mas daí, quem é de surpreender, acaba surpreendido.


ps: Eu não quero ser o presente novo que não te serve.
Prefiro ser a camisa velha e rasgada, que você usa todos os dias.

2 comentários:

  1. muito sincero, gostei muito do post, força.
    Vou seguir.

    ResponderExcluir
  2. Teu blog é lindo, parabéns!

    Vem conhecer o meu:
    leiakarine.blogspot.com

    ResponderExcluir